Saiba quais são os 5 principais sintomas da sinusite

0

Auxílio médico é essencial para diagnosticar e tratar a doença, evitando que ela incomode a sua rotina

Mudanças de temperatura, clima seco e poluição no ar podem causar os sintomas da sinusite. No verão, essa combinação acontece com ainda mais frequência e tende a provocar crises dessa doença incômoda.

sinusite

A sinusite é consequência do acúmulo de secreções nos seios da face. Ele provoca aquela sensação de congestão e, quanto mais secreção no interior do nariz, testa e maxilares, mais desconforto o paciente sente devido à pressão na região.

A doença pode se originar a partir de uma alergia, um vírus, uma bactéria ou um fungo. Quase sempre ela é precedida por um resfriado, que inflama as mucosas nasais (rinite). É por isso que o termo correto, na verdade, é rinossinusite.

Na maioria das vezes ela é crônica, seja de forma permanente ou recorrente, mas também pode acometer o paciente de forma abrupta e de curta duração, se caracterizando como uma doença aguda.

Felizmente, conhecendo a causa da sinusite, é possível tratar e obter bons resultados, impedindo que as crises aconteçam com muita frequência a ponto de interferir no seu dia a dia.

Para isso, a avaliação médica é essencial. Exames clínicos e físicos muitas vezes já são suficientes para o diagnóstico, embora o raio x ou a tomografia sejam aliados para desvendar as causas e iniciar o melhor tratamento, pois os antibióticos devem ser evitados ao máximo.

sinusite

Os sintomas da sinusite que devem ser levados em consideração para procurar auxílio médico, e também para o profissional da saúde confirmar a doença, são:

Dor de cabeça

São raros os casos de sinusite que não manifestam esse sintoma em sua fase aguda. A pressão das secreções nos seios da face causa dores agudas, por vezes lancinantes, que piora ao inclinar a cabeça.

A dor pode se manifestar na região maxilar (sinusite maxilar), entre os olhos e o nariz (etmoidal), na testa (frontal) e na lateral da cabeça, inclusive na região dos dentes caninos (esfeinodal).

No consultório, o médico pode receitar um analgésico para evitar as dores, e um anti-inflamatório para diminuir a inflamação e, consequentemente, a pressão na face.

Corrimento e congestão nasal

Congestão é um dos principais sintomas da sinusite! As secreções que se acumulam nos seios da face precisam ser eliminadas de alguma forma. É por isso que o nariz fica congestionado e exalando secreções espessas, que podem ser brancas, amarelas ou esverdeada.

O médico pode recomendar uma lavagem nasal para umedecer o muco e auxiliar a sua movimentação.

Saiba qual é a diferença entre o purificador e o desumidificador Sterilair, eles poderão te ajudar mais do que você imagina!

Tosse

A tosse é um dos primeiros sintomas da sinusite. Ela fica mais evidente quando o paciente está deitado, pois as secreções caem na faringe e provocam a reação de tossir para que o organismo remova esse corpo estranho.

Nesses casos, quase sempre a tosse é seca, ou seja, o indivíduo não elimina nenhum tipo de secreção.

Febre

Quando os seios faciais inflamam, a temperatura corporal aumenta levemente porque o seu sistema imunológico está se preparando para combater a infecção. Nos casos de sinusite viral ou bacteriana, pode haver febre de até 38 graus Celsius.

Quando o paciente apresenta febre, a busca de um médico é essencial, pois a falta de tratamento pode agravar o quadro.

Desconforto na região dos olhos

Dor no fundo dos olhos, inchaço, sensibilidade à luz, visão embaçada e lacrimejamento são alguns sintomas da doença, causados devido a inflamação dos seios nessa região da face e ao bloqueio da passagem das secreções.

Se a doença não for tratada, ela pode causar até mesmo a perda de visão devido à pressão sobre o nervo óptico e à formação de abscessos.

Evite!

Os sintomas da sinusite podem ser evitados com alguns cuidados no dia a dia. Saiba o que fazer para se precaver da doença nessa estação:

– Apesar de ser uma época de muito calor, procure não permanecer por longos períodos em locais com ar condicionado, que deixa o ar seco e que pode propagar agentes que desencadeiam a doença.

– Invista em um esterilizador de ar para purificar o ar no ambiente que você está. Já existem opções práticas e acessíveis para que você deixe no quarto ou no escritório, por exemplo.

– Sempre que possível, deixe o ar circular e a luz natural entrar. Abra portas, janelas e cortinas para que o ambiente fique fresco e livre de poeira, bactérias, vírus e fungos.

– Remova possíveis focos que possam desencadear uma crise, como mofo nas paredes, tapetes sujos e poeira nos móveis.

– Use produtos específicos para a limpeza de locais onde possa haver acúmulo de substâncias que causam as irritações . Eles são mais eficientes para remover odores, resíduos da poeira, pêlos de animais, etc.

– Diariamente, use um aspirador de pó ou um pano úmido para remover o excesso de sujeira da casa, isso ajuda a remover os agentes alergênicos espalhados pelo ar.

– Hidrate-se. A hidratação ajuda as secreções do corpo a se movimentarem e, ainda, a água é essencial para o bom funcionamento do sistema imunológico

 

Autor: Tainá Fantin.





Compartilhe:

Sobre o Autor

Comentários não são permitidos.